como lidar com o excesso de informação

3 min leitura

Quando comecei a pesquisar sobre como lidar com o excesso de informação, eu acreditava se tratar de um problema relativamente recente, causado pelo avanço da internet e a maneira como nos comportamos online. Para minha surpresa, descobri que o termo “sobrecarga de informação” remonta ao ano de 1964, quando Bertram Gross o cunhou em seu livro “The Managing of Organizations”. Sua definição para tal fenômeno ainda é bastante relevante para a atualidade:

A sobrecarga de informação ocorre quando a quantidade de informação inserida no sistema excede a sua capacidade de processamento.

Bertram Gross

Visualize o seguinte cenário: ao abrir seu celular, você se depara com 347 mil novos stories no Instagram, 41 milhões de mensagens não lidas no WhatsApp e 500 horas de vídeos para assistir no YouTube. Esses números assustadores são um exemplo do que acontece em apenas um minuto na internet. Agora imagine o seu sistema cognitivo tentando assimilar essa alta quantidade de informações. Estamos falando de um esforço mental que é impossível por conta das limitações do nosso cérebro, ou seja, você está inserindo mais informações em seu sistema do que ele tem capacidade para processar.

Surge então a necessidade de utilizar tais plataformas de maneira mais intencional. Não podemos nos deixar afetar tanto pelo FOMO (Fear of Missing Out) e precisamos ter consciência que não existe maneira humana de absorver todo o conteúdo que esbarramos por aí. Com isso em mente, fiz uma lista de maneiras que busquei para lidar com o excesso de informação. Espero que essas dicas possam ajudá-la a encontrar um equilíbrio saudável em sua dieta de informações.

Menos é mais

Sempre fui do tipo que atualizava diversos sites de notícia durante o dia e é óbvio que isso me causava muita ansiedade. Eu acreditava que sempre precisava de mais detalhes e que era imperdoável não acompanhar a cobertura ao vivo dos acontecimentos. Quando percebi que tal comportamento me causava muito estresse, prometi que não leria as notícias mais de uma vez por dia e passei a assinar a newsletter do Meio. Dessa forma as notícias chegam ao meu e-mail uma vez por dia e posso ficar atualizada sem o desespero de correr atrás notícia.

Deixe a informação amadurecer

As redes sociais nos cobram um imediatismo perigoso. Temos a impressão errônea que o nosso “pitaco” é necessário sobre todos os últimos assuntos. Você tem permissão de respirar fundo e deixar os fatos se desenrolarem. Leia mais sobre o assunto em voga, estude o que outras pessoas já falaram a respeito e deixe seu pensamento amadurecer. Uma das armadilhas do imediatismo é nos fazer adotar posições sem conhecer todos os fatos e isso nos leva a ter conversas improdutivas sobre acontecimentos importantes.

Siga quem te acrescenta

Quem você segue nas redes sociais? É importante olhar para a nossa lista de “seguindo” com frequência e fazer uma limpeza. Tento seguir apenas canais que promovem a reflexão, o diálogo e pessoas que me inspiram de uma forma valiosa. Aquele famoso “hate following” (seguir só pra criticar) não tem vez comigo. O seu tempo é valioso e deve ser gasto apenas com quem vai acrescentar algo de bom em sua vida.

Consuma conteúdo de maneira intencional

Essa é a minha dica mais importante. Percebi que eu consumia muito conteúdo e no segundo seguinte, já havia me esquecido completamente do assunto. Hoje em dia, criei um fluxo de como devo tratar o que encontro na internet.

O primeiro passo é a coleta de conteúdo. Diariamente, faço uma vistoria em aplicativos como o Feedly, YouTube e Bloglovin para garimpar artigos e vídeos do meu interesse. Uso o Pocket para salvar tudo aquilo que acredito ser valioso para consumir em um momento posterior. Ao final do dia, finalmente vejo tudo aquilo que salvei no Pocket, favoritando os melhores para poder consultar sempre.

Descobri que essa fórmula é a mais eficaz para consumir conteúdo intencionalmente. Concentrar tudo em um só lugar e não deixar me distrair por artigos ou vídeos durante o dia fez uma diferença em como me relaciono com a internet.

Desligue as notificações do seu celular

Você sabia que as notificações são projetadas para criar dependência? O conceito é pavloviano. Você escuta um barulhinho e imediatamente checa o celular em busca da recompensa: uma nova curtida, um e-mail novo, um novo seguidor, etc… Se o seu trabalho não depende disso, o jeito é realmente desativar as notificações do celular. Já faço isso há algum tempo e acredito que ajudou bastante em minha saúde mental.

Como você se relaciona com o excesso de informação da internet? Tem alguma dica para compartilhar comigo? Deixe seu comentário!

XOXO
signature

Quer ficar por dentro das novidades?
Receba conteúdo exclusivo diretamente em sua caixa de entrada!

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Comments Yet.

Anterior
05 razões para comprar um kindle
como lidar com o excesso de informação